Para uma demissão menos Traumática

Postada em 04/06/2014

 

O Consultor Douglas Camillo acredita que ao dar o Feedback ao funcionário, “É possível ter argumentos reais para justificar a saída, permanência ou a promoção”.

No dia-a-dia de uma empresa demitir alguém ou ser demitido está longe de ser uma tarefa fácil ou aguardada com ansiedade.  Especializado no assunto, o gestor de recursos humanos e consultor da DPTotal, Douglas Camillo, acredita que a comunicação da demissão deve ser rápida e direta, “olho no olho, de forma firme e educada, evitando rodeios, que podem só gerar sentimentos ruins”.
Para demitir, é importante utilizar as ferramentas administrativas de recursos humanos, como a entrevista de desligamento, que ajuda a identificar os motivos que levam um funcionário a permanecer ou não na empresa. “Essa ferramenta pode identificar, na percepção dos ex-empregados, os pontos fortes e fracos da organização, com o objetivo de criar meios de melhoria”, explica Camillo.
Na opinião do gestor, o fator mais importante é criar uma política de gestão e avaliação do desempenho profissional, atribuindo avaliações periódicas para tratar das habilidades, comportamento e resultados. Essa avaliação dever ter o feedback periodicamente repassado ao funcionário. “Com essa avaliação em mãos, é possível ter argumentos reais para justificar a saída, permanência ou promoção do funcionário. Com isso, a empresa contribui para que o empregado perceba o que deve melhorar. Ou ainda, que a oportunidade que ele necessitava foi dada e avaliada, mas não aproveitada”, complementa Camillo.
“Durante a entrevista de emprego, analisa-se a formação e experiência e no momento da demissão o que pesa é o comportamento e resultados apresentados pelo empregado”, destaca Camillo.
Para o consultor, é recomendado demitir o funcionário observando algumas questões como o mês de reajuste de salário da categoria profissional (data-base), para evitar o desligamento nos trintídio, ou seja, nos 30 dias que antecedem a data-base, já que essa atitude gera multas de um salário a favor do empregado.
É importante ainda, na opinião de Camillo, evitar demitir no início ou meio do dia. O ideal é que a demissão seja comunicada na quinta ou sexta-feira, próximo às 18 horas, entre os dias 7 e 12, pois o funcionário terá recebido o pagamento do mês anterior.
“O momento de desligar um colaborador é angustiante e muitas vezes é considerado o mais difícil na carreira de um gestor”.  Por isso, o gestor deve saber agir no momento de desligar um colaborador, realizando de forma natural, sem causar traumas ou constrangimento para o funcionário.

Fonte: Revista Acim Setembro de 2010



www.dptotal.com.br

 

Av. Tiradentes, 877 - Sala 1 - Centro
Fone (44) 3025 3593 - Maringá, PR

Desenvolvimento: Monteweb